domingo, 5 de dezembro de 2021

Seguindo viagem pela Sicilia- Castellamare del Golfo, San Vito Lo Capo , Erice e Agrigento





Deixamos Palermo de carro, e  seguimos em direção a Castellammare del Golfo.Fizemos uma breve parada na praia e outra no belvedere, para dar uma olhada no porto e no azul do mar Mediterrâneo,


Rumo a San Vito Lo Capo , pequena cidade, conhecida por suas praias de águas transparentes e azul claro. Realiza anualmente em setembro, CousCous -Fest quando recebe mais turistas, e chefes de cozinha renomados. O prato típico da região é o "couscous "que é preparado com frutos do mar.





Atração número 1 , a praia.  Fomos prontos para mergulhar nas águas cristalinas de San Vito. Areia finíssima e gente bronzeada.

Como acontece em quase todas as cidades italianas,  curtir um dia na praia, é preciso pagar por cadeiras, ombrellones e chuveiros. São os chamados "lidos".    (Para nós brasileiros é um pouco estranho ). 

 A 50 minutos de San Vito lLo Capo , fica Trapani . Local ideal para tomar um barco e visitar as ilhas de Favignana, Maretimmo e Levanzo. Nessa última, vemos fotos de barcos que parecem flutuar nas águas incrivelmente transparentes .Para essa visita ,é necessário 2 a 3 dias. 

Em Trapani,  alcançamos Erice,  cidade medieval. Há uma estação de teleférico que na Itália se chama "funívia". Pode acessar www.funiviaerice.it   

Obtive informações com uma amiga de San Vito e não havia necessidade de reservas. Se preferir, poderá ir de carro. ( Dizem que em dias claros, podemos visualizar a costa africana) . A conferir!

Erice não é uma cidade boa para se hospedar ,mas vale um almoço ou lanche .


Recomendo parar em umas das confeitarias e experimentar as especialidades locais : doces a base de pasta de amêndoas, pistache e mel, que derretem na boca.  Nessa da foto, eu me encantei com a Pasticceria Maria Grammatico. 

Erice sempre foi alvo de disputas ao longo dos séculos, entre gregos, cartagineses, romanos, árabes e normandos.  Por certo, devido a sua total inacessibilidade e visão privilegiada.  

Na primeira foto, temos o Castelo de Venere, construído pelos os normandos. Se visitar esse lugar em tempos mais frios, prepare um bom agasalho. Setembro é um mês tranquilo.










        Subindo em "funívia", temos essa vista de Trapani, e o mar ao longe. Foto em dia nublado.   O custo do transporte é de 9 euros . Quem vai de carro, terá que pagar também o estacionamento. 


Enfim,  Agrigento- a cidade do ilustre e importante escritor italiano, Pirandello. Prédios bem preservados, e na parte antiga, o tráfego é bem controlado. Muito visitada, pois é aonde se encontra o Valle dei Templi ,  a atração maior local. Confesso que chegar à noite nessa cidade, não é fácil. Uma estrada escura com muitos viadutos e retornos complicados. E para encontrar vaga para o carro, no centro antigo,  foi complicado.








Abaixo, é a  entrada da nossa pousada,  conseguimos ficar na parte antiga e central da cidade. No térreo,  ficamos em 2 quartos conjugados (para  3 pessoas), com o café da manhã servido no quarto. Acomodação confortável.                             
A proprietária, artista plástica,  me ofereceu de lembrança uma peça dela de cerâmica que mostro na foto. Está escrito Messina, que é a província de Agrigento. Retribuí com  uma pequena toalha rendada, da nossa terra.  Tenho o costume de viajar com mimos, para agradecer. Cortesia, gera cortesia e ótimas lembranças.


Acima é arte da proprietária, na entrada da pousada. 


 Essa  é a peça de cerâmica, que ganhei.   A pousada era B&B La Mansardina.Via Atenea Vicolo, San Pietro 18 .


Vemos a placa com todos os pontos de visitação da parte antiga.

Nessa região, bem próxima a cidade ,encontra-se a "Scala dei Turchi ", uma falésia que tem uma formação interessante , branca, e que contrasta com o azul vibrante do mar. 
Aqui termino o roteiro local. No próximo post será sobre o Vale do Tempo.



Nenhum comentário: